Palácio do Ministério Público

Por: gasometro

ago 30 2010

Categoria: Centro

Palácio do Ministério Público RS - Foto: Cesar Cardia

Palácio do Ministério Público (“Forte Apache”)

No ano de 1857, o Comendador Patrício Corrêa da Câmara, Primeiro Visconde de Pelotas e então Vice-presidente da Província de São Pedro, lançou a pedra fundamental da futura sede da Assembléia Provincial, na esquina da Praça com a atual Rua Jerônimo Coelho.

A Assembléia para lá não se mudou, mas, com a proclamação da República, em 1896, Júlio de Castilhos, Presidente do Estado, ali fixou sua residência e sede de governo, transformando-o no Palácio Provisório, vez que mandara construir no local onde figurava o Palácio Provincial, o novo palácio de governo. Dali governaram, durante 25 anos, além de Castilhos, Carlos Barbosa e Borges de Medeiros, até 1921, com a construção do Palácio Piratini.

O edifício que nascera para ser a sede do Poder Legislativo, converteu-se em palácio de governo, servindo, também, ao Poder Judiciário, até chegar aos nossos dias, sobrevivendo à voragem dos anos. Único prédio onde transitaram, de uma forma ou outra, todos os poderes constituídos do Estado, o Palácio Provisório é o único palácio na acepção do termo ainda existente na Praça da Matriz: O Palácio Piratini, construído sobre os escombros do antigo Palácio Provincial, destruído para apagar as lembranças do Império, foi ocupado em 1921; o Palácio da Justiça, gêmeo do Theatro São Pedro, foi destruído no incêndio de 1949; o Palácio Farroupilha, sede da Assembléia Legislativa, data da década de Sessenta. Assim, o palácio que nasceu para ser provisório chega aos nossos dias para servir de sede ao Ministério Público, tornando-se, novamente, endereço importante no centro cívico de nosso Estado.

Fonte: Ministério Público RS

Anúncios