Largo dos Açorianos

Por: gasometro

maio 15 2011

Categoria: Centro, Praças e Parques

Monumento aos Açorianos e Centro Administrativo Fernando Ferrari - Foto: Cesar Cardia

Monumento aos Açorianos

O Monumento aos Açorianos é um monumento da cidade de Porto Alegre, em homenagem à chegada, em 1752, dos primeiros sessenta casais açorianos que povoaram a cidade. Foi inaugurado em 26 de março de 1974, aniversário da cidade.

A obra possui 17m de altura por 24m de comprimento.

O monumento, em linhas futuristas, está localizado no Largo dos Açorianos (que também abriga a histórica Ponte de Pedra), próximo ao Centro Administrativo do Estado. Construído em 1973, feito em aço, é uma obra do escultor Carlos Tenius e lembra uma caravela, composta de corpos humanos entrelaçados, e tendo à frente uma figura alada que lembra o mitológico Ícaro e representa a Vitória.

No monumento existe o seguinte escrito: “Jamais sonhariam aqueles casais açorianos, que da semente que lançavam ao solo nasceria o esplendor desta cidade.”

Fonte: Wikipédia

Centro Administrativo Fernando Ferrari

História do CAFF

A ideia de centralizar órgãos de administração num só complexo arquitetônico já estava sendo estudada desde 1956, com a construção de prédios ao redor da Praça da Matriz.

Em 1962, o prefeito de Porto Alegre, Loureiro da Silva, sancionou a lei que fixava o Centro Administrativo nas proximidades da Avenida Borges de Medeiros e Escola Técnica Parobé. Ao longo destes anos, muitos planos foram traçados, mas somente no dia 12 de julho de 1971, através do Decreto nº 21.190, foi aprovado, pelo então governador Euclides Triches, o projeto para a criação do Centro Administrativo do Estado do Rio Grande do Sul (CAERGS).

O relatório final do projeto foi entregue ao governador pelo secretário do Desenvolvimento Regional e Obras Públicas, engenheiro Jorge Englert. O projeto previa a seguinte estrutura: Palácio de despachos, Secretarias de Estado, Plataforma e acessos e Centro de Processamento de Dados. A área prevista para a construção foi de 128 mil metros quadrados e no dia 26 de dezembro de 1976 as obras tiveram início, no terreno que em área global perfaziam 201.215,00 m².

Na época, a Companhia Estadual de Desenvolvimento Regional e Obras (CEDRO) e a firma Knorr Construções Ltda. foram as responsáveis pela execução das obras juntamente com os arquitetos Charles René Hugaud, Ivanio Fontoura, Leopoldo Constanzo, entre outros.

Quanto aos objetivos, é importante salientar que o Centro Administrativo propiciou a concentração da maior parte das Secretarias de Estado em um mesmo prédio, facilitando os contatos mais rápidos entre os funcionários das secretarias e entre os próprios secretários.

A ocupação do prédio estava prevista para 1986, porém a inauguração foi possível, somente, em 10 de março de 1987.

Razões do nome Fernando Ferrari

Nascido em 14 de julho de 1921, em São Pedro do Sul, RS, neto de imigrantes, professor, contador, economista, sociólogo e advogado, Fernando Ferrari foi um dos mais ilustres e dedicados parlamentares que a história tem registro. Sua biografia identifica uma ascensão política vertiginosa, fruto da sua grande nobreza pessoal e enorme capacidade de trabalho.

Em 1946, aos 24 anos, Ferrari foi eleito deputado estadual, destacando-se como o mais entusiasta defensor da Nova Ordem Econômica e Social do Rio Grande do Sul. Seu mandato estadual encerrou em 1950, com sua eleição ao Legislativo federal cumprindo três mandatos sucessivos. No ano de 1958 obteve a maior votação em todo o território nacional.

Reconhecido como o parlamentar mais diligente e dedicado às questões sociais do trabalhador rural, em 1958, um numeroso grupo de estudantes e trabalhadores lançou-o como candidato a vice-presidência da República.

Faleceu em 25 de maio de 1963, aos 42 anos, em um trágico acidente aéreo e a data de sua morte, é hoje dedicada ao trabalhador rural em homenagem ao seu mais ilustre protetor.

Com isso, o Centro Administrativo do Estado, antigamente conhecido como CAERGS passou a ser chamado de Centro Administrativo Fernando Ferrari (CAFF), através da Lei nº 8.858 de 12 de julho de 1989. A iniciativa para esta homenagem foi proposta pela Fundação Fernando Ferrari, em lembrança ao movimento “Mãos Limpas” – uma forte oposição ao exagero burocrático e a toda e qualquer espécie de corrupção na Administração Pública.

Fonte: SARH

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: