Cais Mauá

Por: gasometro

mar 27 2012

Categoria: Centro, Orla

Antigo Cais do Porto - Foto: Cesar Cardia

O Cais Mauá é uma seção do porto fluvial de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, cujas características especiais o fizeram ser protegido pelos Patrimônios Históricos Nacional e Municipal.

A importância histórica do Cais Mauá reside no fato de sua construção ter representado um imenso esforço do governo e da sociedade gaúcha, no início do século XX, em direção à modernização urbana e ao desenvolvimento econômico. As estruturas levantadas também estabeleceram novos padrões de higiene, funcionalidade e estética para a construção civil.

O conjunto não foi construído de uma só vez, mas em etapas, a partir do primeiro trecho do cais que faz frente para a Praça da Alfândega, este datando de 1911-1913. O pórtico central e os armazéns A e B são do período entre 1919 e 1922. Os demais armazéns datam de 1917 a 1927, e o prédio do DEPREC surgiu apenas em 1947.

Cais Mauá - Foto: Cesar Cardia

Características singulares de sua construção também deram razões para que o conjunto fosse protegido. A estrutura dos Armazéns A1, A2, A3, A4, A5, B1, B2 e B3 compõe-se de peças metálicas rebitadas em ferro, importadas da empresa Daydée, de Paris, e montadas no local. Os vãos da estrutura são preenchidos de alvenaria de tijolos maciços. O vão livre é de aproximadamente 20 metros e o comprimento varia em torno de 90 metros para cada armazém. Os armazéns, com suas coberturas com cumeeiras e telhados repetidos em duas águas, criam um ritmo arquitetônico contínuo de belo efeito. Tendo apenas um único pavimento, o seu pé-direito eleva-se de sete a dez metros.

Integram os bens protegidos as gruas para movimentação de carga, que correm em trilhos metálicos na base da estrutura do telhado, os enormes guindastes ao longo do cais, e o pavimento de granito. O edifício sede do DEPREC é um prédio de seis pavimentos, e seu estilo caracteriza a evolução do ecletismo para o art déco. A estrutura do prédio é de alvenaria portante com vigamento e entrepisos de concreto, e as paredes são revestidas por reboco.

O pórtico central e os armazéns A e B foram declarados patrimônio histórico nacional em 1983, e o restante do conjunto foi protegido pelo município em 11 de outubro de 1996, sob o nº 46 do Livro Tombo.

Fonte: Wikipédia

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: